Licenciado em Engenharia Informática pela Universidade da Madeira, defende que um programador tem de ter a “mente aberta e manter a calma quando tudo está a ‘pegar lume’”.

Integra o XIS Group desde 2011 e nunca pensou em seguir outra carreira profissional. Sem contar com aquela fase em que quis ser piloto da Força Aérea, mas desistiu porque era “baixinho”, a Informática teve sempre honras de primeira escolha.

O que mais o alicia? A resposta é fácil: compreender o problema e encontrar a melhor solução. Jamais desistir, jamais desmotivar. Desafios não faltam, e quanto mais difícil se afigurar a resolução, maior é a adrenalina. O importante é “ter a noção de que o processo de aprendizagem é contínuo”, que, todos os dias, mudam os desafios, os problemas e a maneira de resolvê-los.

O relacionamento com os clientes, aconteça o que acontecer, nunca é descurado. O cliente é sempre encarado na sua individualidade – “quando falamos com um cliente, estamos a falar com aquela pessoa em particular, não se trata de mais um caso ou um número a registar no sistema. E esta abordagem faz toda a diferença.”

Claro que há sempre dias menos bons, ou mesmo maus, por isso, até um programador de mente aberta e muita calma tem de, por vezes, “saber gerir o stress”. No caso de Adrião Neves, fazer caminhadas e levadas ajuda bastante. “É ótimo para limpar a cabeça.”